Emissão de boleto: qual a diferença entre sacado e cedente?

Na emissão de boleto, as palavras sacado e cedente estão sempre em destaque, mas muitos ainda não sabem a diferença entre ambas.

Nas emissões de boletos bancários, as palavras SACADO e CEDENTE estão sempre em destaque, no entanto, muitos ainda não sabem a diferença entre ambas. 

O boleto bancário é uma forma de pagamento extremamente rápida e prática para quem paga e para quem recebe. Afinal, quem faz a emissão do boleto recebe o valor em até 3 dias úteis. Já quem paga o boleto pode realizar o pagamento em todos os bancos, até mesmo via internet banking ou em casas lotéricas até o dia do vencimento. 

Segundo pesquisa realizada pelo E-commerce Brasil em parceria com o SEBRAE, sobre a aceitação das formas de pagamento, 75% dos consumidores escolhem o pagamento via boleto bancário por causa das baixas taxas cobradas e também pela facilidade de emissão. O pagamento via boleto bancário só perde para o cartão de crédito, que tem aceitação de 89% dos consumidores. 

Hoje em dia, pessoas físicas também podem fazer emissão de boletos, mas antigamente esse tipo de cobrança era restrito às empresas. Por esse motivo, alguns termos ainda não foram popularizadas e geram certa confusão. Entre as palavras que geram dúvidas, os termos sacado e cedente estão sempre em destaque. 

Pensando nisso, preparamos um conteúdo para sanar suas dúvidas e explicar o que é sacado e cedente e qual a diferença entre eles.

Afinal, quem é o sacado? 

O sacado é o pagador, a pessoa que irá pagar o boleto. O sacado é, provavelmente, o seu cliente. A pessoa que consome seus produtos ou serviços que você oferece. 

Geralmente, os dados mais comuns exibidos nos boletos do sacado são:

  • Nome
  • CPF
  • Endereço 

E quem é o cedente? 

Também conhecido como beneficiário ou favorecido, o cedente é o oposto do sacado. É a pessoa que irá receber o valor do boleto pago. O cedente pode ser uma pessoa física e/ou jurídica que realiza a prestação de algum serviço ou a venda de algum produto.

Por exemplo, se você possui uma empresa de limpeza de ar condicionado e seu cliente (sacado/pagador) solicita o pagamento através de boleto bancário, o cedente que irá constar no boleto é o seu nome ou o nome da sua empresa. 

Boleto sem registro e boleto com registro 

Antes era possível gerar boleto sem registro, também conhecido como boleto anônimo, pois o boleto sem registro não exigia a identificação do CPF ou CNPJ do cedente e do sacado. Além disso, não era necessário registrar no sistema do banco, especificando o valor e prazo de vencimento. Por esse motivo, esse tipo de boleto só passava a existir após a realização do pagamento. Então, era mais barato, porém também era extremamente inseguro, pois o boleto sem registro é mais suscetível a fraudes. 

Então, em 2018, com a decisão da Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), todos os boletos passam a ser registrados. No registro encontram-se informações como: CPF ou CNPJ e endereço. Essa mudança, segundo a FEBRABAN, foi realizada para modernizar o pagamento dos boletos, já que o processo de liquidação era o mesmo desde a década de 1990.

O boleto com registro evita fraudes e traz mais segurança para as operações financeiras realizadas em território nacional. Outro ponto positivo do boleto com registro é que ele pode ser protestado caso o cedente atrase o pagamento.

Quais outros campos existem no boleto bancário? 

Além do cedente e do sacado, o boleto bancário — padronizado pela Federação Brasileira de Bancos —  tem outros campos obrigatórios. Conheça: 

Valor do documento

É o valor que o sacado deverá pagar até a data de vencimento do boleto. 

Data do boleto 

A data do boleto é o dia em que o documento foi emitido pelo cedente.

Data de vencimento do boleto 

A data de vencimento do documento é a data limite para o sacado realizar o pagamento. Se o pagador atrasar e ultrapassar o vencimento, o boleto deve ser atualizado após o cálculo dos juros de mora e multa por atraso*. O beneficiário pode realizar essa atualização no site da instituição financeira emissora do boleto. 

Código de barras

Assim como produtos comprados no supermercado, o boleto também possui código de barras. Esse código representa graficamente todas as informações do boleto (cedente, sacado, valor e vencimento). 

Linha digitável

É a representação numérica do código de barras. Então, se o sacado não conseguir realizar o pagamento utilizando o código de barras, é possível usar os números da linha digitável para efetivar o pagamento. 

Nosso número

O nosso número é a identificação que torna o boleto único no FINANZ. Pelo nosso número é possível relacionar o documento ao sacado e cedente. 

Código do banco

Também conhecido como COMPE (Sistema de Compensação de Cheques e Outros Papéis), esse código possui três dígitos mais o dígito verificador. Cada instituição financeira possui seu próprio número. 

Instruções para o caixa

Apesar de não ser um campo de preenchimento obrigatório no boleto, algumas pessoas optam por usá-lo. Nas instruções para o caixa constam informações como os juros e multas que devem ser cobrados, além de possíveis restrições de pagamentos após determinado período. Por isso, essas instruções devem ser escritas de forma clara e objetiva para evitar a dupla interpretação das condições de pagamento. 

Emissão de boleto: quais as vantagens de cobrar via boleto bancário? 

Além de ser um dos métodos de pagamento mais utilizados no Brasil, com o boleto bancário é possível: 

  • Cobrar os clientes que não têm cartão de débito e/ou crédito e que também não possuem conta em banco. 
  • Cobrar em todo território nacional, já que o boleto é aceito no país todo. 
  • Diversificar as formas de pagamento a fim de fidelizar o cliente por meio da facilidade de pagamento. 
  • Ter o controle do recebimento dos boletos. 
  • Cobrar por e-mail ou por correio, sem precisar se deslocar até o cliente para receber a quantia devida. 
  • Protestar o boleto caso o sacado não realizar o pagamento na data estipulada pelo seu serviço realizado ou mercadoria entregue.

Nas emissões de boletos bancários, as palavras SACADO e CEDENTE estão sempre em destaque, no entanto, muitos ainda não sabem a diferença entre ambas. 

Mas afinal, quem é esse tal SACADO? Sendo bem direto ao ponto, o SACADO nada mais é quem irá pagar o boleto, é o PAGADOR, ou seja, bem provavelmente é o seu cliente que consome produtos/serviços que você oferece. Geralmente, os dados mais comuns exibidos nos boletos do SACADO são: NOME, CPF e ENDEREÇO.

Já o CEDENTE é o oposto, é quem irá de fato RECEBER o valor do boleto pago, também pode ser chamado de BENEFICIÁRIO, é uma pessoa física ou jurídica que realiza a prestação de algum serviço ou a venda de algum produto. Por exemplo: se você possui uma empresa de limpeza de ar condicionados, e seu cliente (SACADO/PAGADOR) solicita o pagamento através de boleto bancário, o CEDENTE (ou BENEFICIÁRIO) que irá constar no boleto é o seu nome (ou da sua empresa). 

Compartilhe esse artigo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Gostou desse artigo? Comente

Sobre Nós

O Finanz faz o trabalho duro e burocrático funcionar de forma simples para você ter mais tempo para focar no crescimento da sua empresa.

Fechar Menu